sábado, 31 de agosto de 2013

Nota de esclarecimento da Prefeitura de Maragojipe

Sobre a reportagem “Vera só dos eventos”, a Prefeitura Municipal de Maragojipe vem a público trazer alguns esclarecimentos acerca dos fatos narrados. O texto está publicado no Jornal da Metrópole. Inicialmente, faz-se necessário esclarecimento sobre o valor atribuído à contratação da cantora Paula Fernandes. A artista recebeu da Prefeitura Municipal o valor de R$ 275.000,00 e não o valor de R$ 500.000,00, conforme citado na reportagem. O documento pertinente ao processo de contratação da artista, assim como os demais, encontra-se à disposição no setor de licitação da Prefeitura.Sobre o Hospital Municipal, vale lembrar que ao longo dos oito primeiros meses de 2013, várias irregularidades foram detectadas pela atual gestão, o que impediram não apenas a reforma do Hospital de Maragojipe, como também a sua reabertura plena. Somente no mês de abril deste ano foi possível concluir uma ação de desapropriação que tramitava no Poder Judiciário. O imóvel, que pertencia a Santa Casa de Misericórdia, foi adquirido pela Prefeitura por R$765.000,00, valor utilizado como indenização dos trabalhadores do Hospital.
Com esta medida o Município passa a ter a propriedade do imóvel, podendo a partir de agora buscar alternativas para restauração e reforma do prédio. Ainda sobre o mesmo imóvel, vale reforçar que o prédio onde funcionava o Hospital Municipal de Maragojipe é protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o que impõe à Administração Pública restrições acerca de sua manutenção. Na manhã da última quarta-feira (27), a prefeita de Maragojipe, Vera Lúcia, esteve reunida com o superintendente do Iphan na Bahia, Carlos Amorim, buscando alternativas para a captação de recursos para reforma e reabertura do Hospital. O Iphan se comprometeu em participar das próximas discussões sobre o tema. Sobre a política de saúde desenvolvida atualmente no município, vale lembrar que vários serviços foram reativados, a exemplo do tratamento fora do domicílio; a abertura de postos de saúde; a realização de mais de 2 mil consultas por mês em diversas especialidades; a implantação da coleta de exames laboratoriais na sede e zona rural; a recuperação da frota da Secretaria de Saúde; a aquisição de novos equipamentos de odontologia; a reabertura do Caps, que voltou a atender a população com consultas psiquiátricas, psicológicas, atividades recreativas e refeições aos pacientes; reabertura da Unidade de Saúde da Família e recuperação de uma ambulância em São Roque do Paraguaçu; reforma e reativação da Unidade Móvel de Saúde, que agora atende a população com médico, enfermeiro e odontologia; reinauguração de duas Unidades Básicas de Saúde em Coqueiros e Palmeiras, com reforma dos prédios e aquisição de novos equipamentos; implantação da Farmácia Básica nos postos de saúde, reabertura do Centro de Saúde Médico no Saboeiro com consultas, exame pré-natal e realização de 500 ultra-sonografias/mês, entre tantos outros.A respeito da existência de um contrato com escritório de advocacia, apontado na reportagem, o Governo Municipal afirma que a Procuradoria Jurídica da Prefeitura está analisando os fatos.  Governo Municipal – Amor e Trabalho. Ascom / Maragojipe. Sintia Souza. Assessoria de Comunicações 

Nenhum comentário:

Postar um comentário