sábado, 31 de agosto de 2013

COOPAMIDO: ameaça ou oportunidade de negócios para os produtores de mandioca da região? Com a palavra, Joélinton Alves, Consultor do SEBRAE

Por ANTONIO MASCARENHAS
JOÉLITON ALVES, consultor do SEBRAE, proferiu palestra audiovisual nas comunidades de Sapucaia e Boa Vista, em Santo Antonio de Jesus, na última segunda-feira, 26,  numa iniciativa da Secretaria de Agricultura, Comércio, Indústria e Meio Ambiente, inerente à necessidade de modernização de casas de farinha e da cadeia produtiva da mandioca como um todo, no intuito de fortalecer à agricultura familiar. Segundo ele, as casas de farinha precisam passar por um processo de modernização, não apenas no que concerne aos equipamentos mas, também e principalmente, no que tange ao comportamento do produtor, visando melhorias na qualidade dos produtos e toda uma sistemática, desde à produção à comercialização dos derivados da mandioca. Com relação  à agricultura familiar, diante da premissa de aumento da margem de aquisição mínima de produtos, pelos municípios, através do  PNAE (Programa de Nacional de Aquisição de Alimentos), de 30 para 50%, os produtores precisam se preparar para atender a essa demanda, sob pena de perderem receitas.
AMEAÇAS E OPORTUNIDADES. 
Na sua fala, Joéliton trouxe à baila a questão de "ameaças e oportunidades" que, conforme preconiza o "sistema FOFA", devem ser detectadas, também, pelos produtores, na medida em que devem estar se preparando para melhores datas para plantios,  enfrentamento de concorrências, através de um planejamento que se paute na organização que, em que pese a minimização de custos, investimento  na qualidade da produção; 
COOPAMIDO: ameaça ou oportunidade para os produtores de mandioca? 
Consubstanciado nessa dicotomia, ameaças e oportunidades, questionamo-lo no que concerne à hipotética "ameaça"  que poderia significar a COOPAMIDO, instalada às margens da BR-101, em Laje e que tem como objetivo a produção de amido em larga escala, inclusive, de produtos utilizados em equipamentos destinados à exploração de petróleo. Até que ponto a COOPAMIDO representa ameaça ao meio ambiente, através da "desertificação verde" e , na esfera econômico-social mediante a diminuição paulatina da agricultura de subsistência?. Joéliton Responde. CONFIRA. Imagens, entrevista, edição e texto, Antonio Mascarenhas (www.tvsaj.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário