sábado, 29 de setembro de 2012

Em baixa com o técnico, Uelliton está distante de renovar contrato com o Vitória

Enquanto Uelliton, em baixa com o treinador, segue na espera de uma nova oferta, o clube não demonstra uma atenção especial para solucionar o caso
Uelliton, Carpegiani, Vitória: uma relação estremecida. Após a irritação do treinador com as declarações do jogador, ontem a polêmica girou em torno da permanência do volante na Toca, até então incerta. E o principal destino citado nos bastidores foi uma possível ida para o Bahia.
Isso pode até acontecer depois de 31 de dezembro, quando se encerra o contrato do volante com o rubro-negro. Mas, por enquanto, a ideia não saiu dos bastidores. Assim garante o empresário do jogador, Antônio Gustavo, o Guga. “Ninguém do Bahia procurou. Pode ser extraoficial, alguém comentando sobre o assunto, mas não existe nenhuma conversa. A intenção do jogador é ficar no Vitória”, afirma.
Por outro lado, a negociação de renovação não anda nada animadora. Guga já se reuniu com o diretor de futebol do Vitória, Raimundo Queiroz. O clube fez uma proposta, mas está distante do que o jogador pretende ganhar para prorrogar o vínculo na Toca.
Enquanto Uelliton, em baixa com o treinador, segue na espera de uma nova oferta, o clube não demonstra uma atenção especial para solucionar o caso. “Uelliton tem contrato até 31 de dezembro. Depois, ele está livre para fazer o que quiser. Posso garantir que o interesse do Vitória é terminar a Série B da forma mais brilhante possível. Depois disso se preocupar com o que vai ser feito para 2013”, assegura Queiroz. Por lei, o atleta já pode assinar um pré-contrato com qualquer outro clube 180 dias antes do fim do contrato.

O presidente do Bahia, Marcelo Guimarães Filho, não nega um futuro interesse. “Não vamos entrar nessa briga de empresário para valorizar o jogador. Em janeiro, se ele estiver livre, pode até acontecer uma conversa”, projeta.

Fora
De fora do jogo contra o Avaí, amanhã, Uelliton foi liberado do trabalho físico e treinou com bola ontem. Recuperado de uma também polêmica lesão muscular, o volante disse que estava 100% para jogar, mesmo sem treinar com bola. Carpegiani não gostou: “Ele ficou 16 dias parado e é lógico que não tem condições”.Foto: Rafael Martins. Por Angelo Paz. Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário