PÁGINAS

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Yanna Lavigne: “Minhas tatuagens são a maior besteira que fiz na vida”

Yanna Lavigne (Foto: Fábio Cordeiro/Revista QUEM)Descendente de baianos e japoneses, Yanna Lavigne, de 25 anos, conta que é apaixonada por acarajé e onigiri, típico bolinho oriental de arroz. Namorada do ator Bruno Gissoni há quase dois anos, a atriz revela o apelido dele e a música do casal, e afirma que se arrepende de suas tattoos
A - Assassinato
“A cena mais difícil da minha vida foi em Dupla Identidade. Fiz a morta Mariana, sem respirar. Quando eu me dava conta, escorriam lágrimas.”
B - Bahia
“Ninguém imagina que a minha mãe (a terapeuta naturalista Lúcia) é baiana e o meu pai (o engenheiro Paulo) é descendente de japoneses. Nas festas lá de casa tem acarajé, vatapá...”
C - Constante
“É a palavra que me define. Tenho fé, determinação, força de vontade. Sempre lutei pelos meus objetivos e, sem exceção, os alcancei. Vivo por uma constante, comigo é assim.”

o cachorro da atriz (Foto: Arquivo Pessoal)D - Dia
“Sou diurna, amo o sol e a luz do dia. Gosto de dormir e acordar cedo.”
E - Espiritualidade
“Acredito em forças onipresentes e em energia, mas não sigo nenhuma religião.”
F - Filhos
“Quero ser mãe. Acho que é o sonho de qualquer mulher. Já faço meu estágio com o Boris, meu cachorro (da raça buldogue francês)de 1 ano e meio.”
G - Grajaú
“É o bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro que me acolheu de braços abertos quando cheguei à cidade. É um lugar familiar, tradicional.”
H - Heterocromia
“Quando nasci, tive paralisia facial por causa do parto a fórceps. Ao abrir os olhos, viram que um é verde e o outro, castanho. O médico explicou que a heterocromia se dá pela mistura de raças. Tenho um olho do pai e o outro da mãe.”
A atriz ao lado da mãe, Lúcia (Foto: Arquivo Pessoal)I - Independência
“Conheci a independência aos 14 anos, no Japão, onde morei como modelo. Aprendi o que é ter uma casa, a varrer o chão, a lavar louças e roupas.”
J - Joelho
“Odeio meu joelho! Não vejo nada diferente, só não gosto. Mas não gosto do joelho de ninguém.”
L- Lúcia
“Minha mãe é o alicerce da minha vida e da minha família. É a minha fortaleza. Não tive fase rebelde, sempre fui um grude com ela.”
M - Mar
“Tenho uma conexão forte com o mar. Nele eu lavo minha alma, pra ele conto meus segredos, peço para que me traga vitórias na vida.”
N - Nhoque
“É o meu prato favorito e o apelido do Bruno. Estamos juntos há um ano e meio. Passa rápido... Falamos de casamento, mas não tem nada concreto.”
O – Onigiri
“É um bolinho de arroz embrulhado em alga fresca que eu comia no Japão. Meu preferido era o nagui, que é de carne de enguia com molho teriaki.”
P - Psicóloga
“Minha irmã, Adriana, de 23 anos, faz psicologia. É a minha melhor amiga, adora colocar em prática sua graduação. Sou cobaia dela.”
Q - Qorpo Santo
“É um autor referência que estou estudando na faculdade. Estou no quinto período do curso de teatro.”
R - Roller In Line
“Roller in line é um tipo de patins. Ninguém me ensinou, aprendi a andar nele com 6 anos. Caí, me machuquei e uso até hoje.”
yanna lavigne durante viagem com amigas (Foto: Arquivo Pessoal)S - Sertanejo
“O sertanejo da minha história é o de raiz, porque lembro do meu pai chegando em casa e pegando o violão, cantando músicas de Chitãozinho e Xororó, Zezé Di Camargo, Daniel.”
T – Tatuagem
“Tenho cinco. Minhas tatuagens são a maior besteira da minha vida. Eu penso em tirar as mais visíveis. Comecei a fazer tattoos aos 19 anos. Tenho uma frase de Manoel de Barros no antebraço esquerdo: ‘Até alguém já chegou de me ver passar a mão nos cabelos de Deus. Eu só queria agradecer’; minha irmã assinou ‘irmãs de alma’ em francês, na minha costela esquerda; a frase ‘A estrela que veio para brilhar nos palcos de nossas vidas’ na costela direita; no cotovelo esquerdo, um coração; e no pulso direito, ‘amém’ em aramaico.”
Yanna Lavigne (Foto: Fábio Cordeiro/Revista QUEM)U - Urucum
“Sempre ouvi falar que urucum bronzeia, mas não tinha ideia de que manchava. Um dia, passei na pele e fiquei da cor da minha calça laranja (como na foto desta matéria). Traumatizei!”
V - Viagem
“Sou sagitariana típica. Amo viajar, tenho espírito de liberdade e gosto de voltar para a minha terra, Porto Alegre, onde cresci e tenho grandes amigos.”
X - Xampu
“É uma das minhas manias, sei tudo sobre xampus. Meu cabelo é meu xodó.”
Z - Zeca Baleiro
“É um cantor que descobri quando comecei a namorar o Bruno. A música ‘Ai Que Saudade D’Ocê’ é a que embala nossa relação.”Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário