PÁGINAS

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Criança de 70 kg tem maus hábitos alimentares, diz médica do ES

Depois de avaliar o menino Misael, que pesa 70 kg com apenas três anos de idade, a endocrinologista infantil Tatiana Genelhu falou, em entrevista ao Bom Dia nesta terça-feira (25), que maus hábitos alimentares contribuíram para a obesidade grave da criança. “Ele é uma criança que não aceita verduras e legumes no seu prato”, disse a médica. Segundo o pai do menino, desde que foi de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, para Vitória começar o tratamento, Misael passou de 71,3 kg para 70 kg.
Durante a consulta, que aconteceu nesta segunda-feira (24), a primeira observação da médica foi o comportamento da criança. “Misael é agitado, um pouco agressivo. Ele entende muita coisa, mas é agressivo com os pais. Precisa de avaliação de um neuropediatra", falou Tatiana. De acordo com a endocrinologista, o ambiente familiar e escolar influenciam na formação alimentar da criança. “Normalmente, quando a gente fala em tratamento de obesidade, a gente muda todo o ambiente familiar, muda também o ambiente na escola. O Misael ainda não frequenta escola, mas ele precisa frequentar por conta da socialização”, disse.
Tatiana pontuou que hábitos alimentares saudáveis devem começar desde antes da concepção de cada pessoa, pela própria mãe. “Isso começa desde a programação da gestação. Quando a mulher pensa em engravidar, ela já tem que ter um peso adequado, uma alimentação adequada, passar uma gestação também com um peso adequado”, falou a médica.
O menino não aceita comer verduras e legumes e, pela própria restrição financeira da família, não tinha condições de ter um cardápio variado, como destacou Tatiana. Para ela, esse processo de mudança é progressivo e deve ser feito com muita cautela.
Exercícios na piscina
Enquanto permanecer na Grande Vitória, Misael vai fazer exercícios em uma piscina de água quente, com orientação do fisioterapeuta Pablo Pompermayer. "Na piscina vamos conseguir promover atividades com segurança. Tendo em vista que ele não tem aptidão física para fazer exercícios em solo, escolhemos a piscina, pois assim ele não sofrerá impacto e ainda ficará com as articulações protegidas. Ainda assim ele vai gastar muitas calorias, o que vai resultar em emagrecimento para ele.
Para o fisioterapeuta, o envolvimento da família em todo o tratamento é muito importante. "Vamos ajudar a mudar o comportamento da família toda. Inclusive vamos convidar a mãe dele para participar do plano de exercícios junto com ele", disse.
Síndrome
No dia 29 de setembro, a criança realizou o exame que detectaria a síndrome de Prader Willi, possível doença de Misael segundo os médicos. Mas, o resultado deu negativo.
"A reação nossa foi de tristeza, porque agora estamos mais preocupados ainda. Estávamos tranquilos, porque se fosse a síndrome, já ia entrar em tratamento. Agora voltamos à estaca zero, vamos ter que fazer exames de novo, começar tudo de novo. Não sabemos que médico procurar. E ele está em uma situação muito difícil, já engordou mais, está muito agitado e a respiração está ruim”, disse o pai do menino no dia que soube o resultado.Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário