PÁGINAS

domingo, 26 de outubro de 2014

Eleitores voltam às urnas para definir presidente e 14 governadores

Mais de 142,5 milhões de eleitores devem voltar às urnas neste domingo (26) para escolher, em segundo turno, o futuro presidente da República e os governadores de 13 estados e do Distrito Federal.
Nos locais em que o governo estadual já foi escolhido no primeiro turno, as urnas eletrônicas mostrarão apenas os candidatos a presidente: Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).
Nos estados que definirão o governador neste domingo (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, além do Distrito Federal), as urnas exibirão, em seguida, os nomes dos candidatos a governador.Os mais de 96 mil locais de votação estarão abertos das 8h às 17h, obedecendo ao horário local. Na eleição, que é 100% informatizada, serão utilizadas 530 mil urnas eletrônicas. 
Neste ano, 21 milhões de eleitores (em torno de 15% do eleitorado do país) em 764 municípios brasileiros estão aptos a votar usando a identificação biométrica.

No primeiro turno, porém, cerca de mil urnas apresentaram erro no leitor biométrico, causando longas filas, principalmente em Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Paraná e no Distrito Federal.

Segundo o secretário de Tecnologia da Informação (STI) do TSE, Giuseppe Janino, também foram detectadas falhas de procedimento por parte dos mesários na hora de orientar os eleitores.

“Percebemos que grande parte dos casos de não reconhecimento pela biometria está ligada a procedimentos e isso aconteceu muito nas localidades onde estavam experimentando o sistema pela primeira vez”, explicou Janino aoG1.

Para evitar novos problemas, os equipamentos foram recuperados e distribuiu-se folhetos com orientações aos mesários. A meta é conseguir a identificação por biometria em 95% dos casos. No primeiro turno, esse índice ficou aquém: 91,5%.

As eleições terão o apoio de cerca de 15 mil homens das Forças Armadas, que vão reforçar a segurança ou dar apoio logístico em 319 cidades do país, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Ministério da Defesa. O Pará é o estado com o maior de municípios que contarão com o auxílio das Forças Armadas (57).

Documentos para votar
Para votar, é obrigatório que o eleitor apresente um documento oficial de identificação com foto, que pode ser, por exemplo, carteira de identidade ou identidade funcional (como OAB). Também são aceitos certificados de reservista, carteira de trabalho ou carteira nacional de habilitação.

Ainda que não seja obrigatório, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recomenda a apresentação do título de eleitor para facilitar a localização da zona eleitoral e da seção de votação (consulte o número do título e o local de votação). 

Os eleitores, no entanto, não poderão votar se identificando apenas com o título, uma vez que o documento não tem foto (esclareça outras dúvidas sobre o voto).

Não votei no 1º turno. E agora?
A ausência ao primeiro turno não impede a votação no segundo turno, e o eleitor que não votou nem justificou a ausência ao pleito do dia 5 de outubro vai poder votar normalmente neste domingo.

O eleitor que ainda não justificou a ausência no primeiro turno tem até o dia 4 de dezembro para apresentar justificativa ao juiz em qualquer cartório eleitoral (veja aqui os procedimentos para justificar a ausência).

'Cola'
Para facilitar a votação, a lei permite que os eleitores levem uma “cola” com os números de seus candidatos.

Camisetas e broches
Também é liberado o uso de camiseta, bandeira, broche e adesivo no momento da votação, desde que o eleitor manifeste a sua preferência política de maneira “silenciosa”.

Prisões de eleitores
Pela legislação eleitoral, para evitar perseguição política, nenhum eleitor poderá ser preso nas 48 horas posteriores ao término da eleição, exceto em flagrante ou se existir contra ele uma condenação por crime inafiançável, como racismo ou tortura, ou ainda por desrespeito a salvo-conduto.

Voto em trânsito
Quase 80 mil eleitores solicitaram à Justiça Eleitoral a possibilidade de votar em trânsito no segundo turno. Os paulistas foram os que mais pediram para votar fora de seus domicílios eleitorais, com 17.597 pedidos. Os mineiros aparecem em seguida, com 11.583 pedidos. Os gaúchos completam a lista dos três mais: 6.387 eleitores irão votar “fora de casa” no segundo turno.

Divulgação dos resultados
Por causa da adoção do horário de verão em vários estados, a divulgação do resultado das eleições para presidente da República turno só começará a partir das 20h, no horário de Brasília.

A demora se explica porque o fuso horário do Acre está três horas a menos em relação à capital federal. Os resultados ao governo nos estados com segundo turno começarão a ser divulgados logo após o fim da votação em cada local (17h, pelo horário local).GLOBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário