PÁGINAS

domingo, 3 de agosto de 2014

Cursos técnicos encurtam caminho para o mercado de trabalho

Para aqueles que desejam uma carreira técnica e com rápida inserção do mercado de trabalho, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (Ifba) abriu as inscrições para 6.880 vagas do seu Processo Seletivo (Prosel) 2015. São ofertadas 5.267 em cursos técnicos e 1.620 em cursos de nível superior, ambos gratuitos.
As oportunidades estão divididas entre os 16 campi e nas quatro unidades de atendimento avançado. Em Salvador, estão sendo oferecidos 1.386 postos: 660 para qualificações de nível superior, 440 para técnico na modalidade integrada (ensino médio com curso profissionalizante) e 286 para técnico na forma subsequente (para quem já concluiu o ensino médio). A duração dos cursos varia de acordo com a modalidade, de dois a cinco anos. Dentre as formações mais concorridas estão os cursos de engenharia civil, industrial mecânica, química e industrial elétrica, além de tecnologia em radiologia e bacharelado em administração.
Entre os cursos técnicos, a concorrência maior é para técnico em geologia, edificações e automação industrial. Das vagas de nível superior, 60% será preenchida por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e 40% pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Para as oportunidades em cursos técnicos subsequentes, metade será via Enem e o restante por meio de vestibular do Ifba. A única modalidade que o ingresso é feito exclusivamente por meio de vestibular é a técnico integrada.O engenheiro mecânico Pedro Cunha experimentou o mercado e voltou para a IFBA como professor (foto Betto Jr)
Formação
A área técnica é o grande atrativo dos candidatos que decidem fazer uma das opções de curso ofertadas pelo Ifba. O engenheiro mecânico e professor Pedro Cunha se formou em engenharia mecânica em 2004, fez mestrado e em 2010 voltou para o Ifba como professor da mesma área em que havia se formado. Segundo ele, a opção pela educação foi por conta da estabilidade que o serviço público proporciona. “Quando eu entrei no Ifba eu já comecei o curso pensando em trabalhar, tanto que optei pelo turno noturno justamente por me proporcionar uma maior mobilidade. Saí da faculdade ganhando R$ 1,800 e passei por 3 empresas até voltar”.

Segundo Cunha, a tendência é sempre o empreendedorismo, grandes empresas ou aprovação em concursos públicos. Fonte de talentos Segundo o diretor geral do Campus Salvador, Albertino Nascimento, os cursos permitem uma formação que integram a teoria com a prática e por isso são cada vez mais procurados pelos jovens, que já possuem um plano sobre a área que deseja atuar. “Eles permitem que o estudante ingresse diretamente no mercado de trabalho ou até obtenha grande sucesso nos concursos públicos de empresas como Chesf, Petrobras e Embasa”.

Uma das turmas de técnicos em geologia formada no ano passado, por exemplo tiveram um índice de 100% de aprovação em um concurso que prestaram para a Petrobras. Para Nascimento, o empresariado reconhece esta credibilidade que os institutos federais construíram ao longo dos anos. “A tradição, sem dúvida é o nosso maior respaldo”.

O sócio diretor da People2People Recursos Humanos, Lucas Freire afirma que a demanda por profissionais técnicos é realmente muito grande. 70% das vagas oferecidas pela recrutadora são vagas técnicas para as áreas operacionais e de manutenção. “Cada vez mais as empresas, sobretudo as indústrias vem valorizando a carreira técnica pelo crescimento da demanda e ao mesmo tempo, carência de profissionais qualificados”, explica.

Segundo ele o mercado acaba se antecipando na busca destes profissionais, além da oferta de salários maiores, a fim de reter estes talentos. "Antes que os alunos saiam das faculdades as empresas buscam parceria com as instituições para encontrar este profissional e dar continuidade à sua formação".

Gilberto Barreto é técnico de edificação e lembra que já saiu empregado quando concluiu o curso em 1987 (Foto: Divulgação)


Cobiçados
Formandos de cursos como Tecnologia em Análise de Desenvolvimento de Sistemas, tem 100% de aproveitamento no mercado, como confirma o diretor do Ifba, Albertino Nascimento. "Todo mundo que entra sai trabalhando".

Lucas Freire justifica esta tendência. "As carreiras técnicas e de especialistas se equiparam aos tetos salariais de muitas carreiras gerenciais de liderança, atualmente". Para ele, não precisa mais ser chefe para ganhar bem diante deste cenário. “Um ferramenteiro, por exemplo, ganha tranquilamente entre R$ 3 mil a 7 mil, sobretudo por ser uma vaga muito difícil de encontrar”.

Taiane Ribeiro se formou em dezembro do ano passado em administração pelo Ifba. Durante o período da graduação e estagiou em empresas como Coelba, Walmart e Guerdau, sendo contratada antes mesmo de concluir a faculdade por esta última. Entrou ganhando R$ 2 mil, em média. A inserção imediata no mercado já rendeu um aumento de 50% na sua média salarial, além de independência financeira.

Aluguel
"Em menos de um ano, eu já consigo pagar meu aluguel, minha pós-graduação, penso em dar entrada no financiamento de um carro e fazer uma viagem para o exterior", conta. Segundo ela, a vivência técnica, mesmo se tratando de um curso de graduação foi um diferencial importante. “O contato com a indústria é muito próximo e isso abre muitas portas e as oportunidades surgem rapidamente. Quando você se dá conta já está empregado”. Ainda segundo a administradora, nenhum dos seus colegas estão desempregados no momento.

"Todos os meus amigos de sala de aula estão contratados. Eu consegui me encontrar na profissão, com um salário que atende as minhas necessidades e me possibilita conquistar algumas coisas e realizar alguns sonhos também".

A previsão é que as provas sejam aplicadas no dia 7 de dezembro. As inscrições devem ser realizadas no portal www.portal.ifba.edu.br/prosel-2015-inicio até 10 de setembro. A taxa é de R$ 30.

Os três editais do processo seletivo, divulgados ontem, detalham as vagas por região e por qualificação e podem ser acessados no portal www.portal.ifba.edu.br. Uma dica é que o Ifba disponibiliza no mesmo site as provas e gabaritos das seleções anteriores.




Ingresso nos cursos do Ifba pode ser por vestibular, Enem ou Sisu
Quem quer concorrer a uma das 6.880 vagas nos cursos gratuitos oferecidos pelo Ifba (antigo Cefet) para 2015 tem até 10 de setembro para se inscrever no site www.portal.ifba.edu.br/
prosel-2015-inicio. A taxa custa R$ 30 . Dos postos, 76,5%, ou 5.267, são para cursos técnicos e 1.620 para cursos de nível superior. 

Quem busca uma oportunidade nos cursos de nível superior (licenciaturas, bacharelados, tecnológicos e engenharias) só pode usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para disputar a vaga.

A nota do Enem também pode ser utilizada por quem deseja um curso técnico na modalidade subsequente, destinado a estudantes que já tenham o ensino médio. No entanto, quem preferir pode optar pelo vestibular, cujas provas ocorrem em 7 de dezembro. Já quem visa os cursos técnicos integrados (ensino médio com curso profissionalizante) não tem outra alternativa de ingresso que não o vestibular.

As oportunidades estão espalhadas em 16 campi e nas quatro unidades de atendimento avançado. Em Salvador, são 1.386 postos: 660 para nível superior, 440 para técnico integrado e 286 para técnico subsequente. A duração dos cursos varia de dois a cinco anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário