PÁGINAS

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Bahia e Atlético-PR ficam no empate sem gols em Curitiba

Outra chance desperdiçada. Antes de entrar em campo, os resultados deixaram nas mãos do esquadrão mais uma vez a chance de sair da zona do rebaixamento, caso conseguisse vencer. O que nãoa conteceu. Em um jogo para ser esquecido, de pouca inspiração das duas equipes, Atlético Paranaense e Bahia ficaram no empate sem gols na noite deste domingo (24), na Arena da Baixada.
Com o ponto conquistado, o Bahia apenas deixou para trás o Coritiba na classificação. Ou seja, na 18ª posição, ainda presente na temida zona do rebaixamento, o tricolor baiano segue longe de Salvador. Na quarta, em Porto Alegre, estreia na Copa Sul-Americana contra o Internacional, no Beira-Rio, e no próximo final de semana enfrenta o Grêmio, também na capital gaúcha, já pelo Brasileirão.

Primeiro tempo ruim e com poucas chances
Com menos de um minuto, pela esquerda, o Bahia chegou com perigo. Guilherme Santos avançou e cruzou rasteiro para Emanuel Biancucchi. O meia pegou muito embaixo da bola e isolou uma boa chance de abrir o placar. Foi o único lance de perigo das duas equipes nos primeiros 10 minutos.

Aos 11, na primeira investida, o Atlético Paranaense assustou muito timidamente. Após cobrança de escanteio, o centroavante Cléo cabeceou e mandou por cima da meta de Marcelo Lomba. O time mandante só assusto verdadeiramente o goleiro tricolor aos 19 minutos. Cléo passou por Demerson, na intermediária, e arrancou. Fez o cruzamento, mas para sorte do Bahia, o atacante Marcelo chegou atrasado e não conseguiu completar para o gol.

O jogo era muito ruim tecnicamente. O Atlético-PR adiantava a marcação, tentava diminuir o espaço do Bahia, e conseguia. Por outro lado, quando tinha a bola, errava demais e entregava rapidamente a bola ao time baiano. A história pelo lado do esquadrão não era muito diferente. Esperando o contra-ataque, a partida do Bahia era ruim, e a quantidade de erros de passes era absurda, tanto é que até os 35 minutos foi apenas uma finalização em direção ao gol de Weverton.

Aos 41, em cobrança de falta, o time da casa chegou com perigo. Bady bateu fechada, buscando o ângulo esquerdo, mas Marcelo Lomba estava atento e encaixou sem grandes problemas.
Etapa final
Atlético-PR e Bahia voltaram para o segundo tempo sem modificações. Sem mudanças de peças, e sem alterar também o fraco futebol apresentado nos primeiros quarenta e cinco minutos. As duas equipes, até os 10 minutos, sequer tiveram a capacidade de proporcionar aos torcedores uma oportunidade de tirar o zero do placar. Aos 12, quando conseguiu chegar, o time da casa falhou na pontaria. Natanael cobrou falta muito fechada, na tentativa de surpreender Marcelo Lomba, mas pegou muito embaixo da bola e mandou por cima da meta.

Os treinadores esperaram pelos 15 minutos iniciais para mudar e tentar dar uma nova cara aos times. No furacão, o jovem Douglas Coutinho entrou para dar mais velocidade no lugar de Bady, enquanto Gilson Kleina pelo lado do Bahia surpreendeu a todos. Tirou o volante Léo Gago e colocou o lateral Diego Macedo.

A mudança tricolor, inicialmente, surtiu efeito. Aos 22, após troca de passes, o lateral Diego Macedo entrou na área e bateu forte para primeira boa defesa do goleiro Weverton na partida. Sete minutos depois foi a vez do dono da casa assustar, e muito. Douglas Coutinho tabelou com o centroavante Cléo e recebeu o cruzamento. Livre, dentro da área, o camisa 32 cabeceou muito mal e mandou por cima a melhor chance do jogo até então.

O furacão cresceu. Aos 38, Marcelo tocou para área e contou com o escorregão de Titi. O atacante Bruno Mendes, que não tinha nada com isso, recebeu livre de marcação na área. Pensou, ajeitou e finalizou para uma excelente defesa de Marcelo Lomba.
FICHA TÉCNICA:
Série A - 17ª rodada
Atlético-PR x Bahia
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Horário: 18h30
Data: 24/08/2014
Árbitro: Sandro Meira Ricci (PE)
Auxiliares: Clóvis Amaral da Silva e Elan Vieira (PE)
Cartão amarelo: Bady (Atlético-PR) / Maxi (Bahia)

Atlético-PR: Weverton; Sueliton, Cleberson, Dráusio e Natanael; Deivid, João Paulo, Bady (Douglas Coutinho) e Marcos Guilherme (Otávio); Marcelo e Cléo (Bruno Mendes). Técnico:Doriva.

Bahia: Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Rafael Miranda, Léo Gago (Diego Macedo) e Emanuel (Henrique); Maxi (Rafinha) e Kieza. Técnico: Gilson Kleina.Foto: Joka Madruga / Estadão Conteúdo. Bahia noticias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário