PÁGINAS

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Marqueteiros definem principais adversários e prometem críticas pouco agressivas

Marqueteiros definem principais adversários e prometem críticas pouco agressivasCríticas ao estilo fair play nas campanhas eleitorais para o governo do Estado são prometidas pelos coordenadores de marketing que assessoram os aspirantes à vaga no Palácio de Ondina. Assim como já impregnado nos discursos dos candidatos nos diversos eventos, o que inclui o cortejo do Dois de Julho, eles delinearão, porém, diferentes caminhos e estratégias na agressão. Com uma tática mais propositiva, a senadora Lídice da Mata (PSB) se postará como “terceira via” – entre o “antigo”, ao se tratar de Paulo Souto (DEM), e a “manutenção”, em relação a Rui Costa (PT) –, no pouco tempo de TV, e vai se posicionar como um “caminho novo” mesmo com o rompimento recente do seu partido com o governador Jaques Wagner. “Pelo fato de a sigla ter saído do governo vigente já é uma prova de que Lídice quer outro caminho para a Bahia, com novas ideias. Com isso, os eleitores vão saber claramente quem é Lídice e mostrar os seus diferenciais. Pelo menos é o nosso objetivo”, comentou a coordenadora de marketing da campanha, Karina Terso, em entrevista ao Bahia Notícias. Já o postulante Rui Costa (PT), que contará com maior tempo de propaganda – cerca de 8 minutos –, promete fazer “críticas mais políticas e menos agressivas” ao principal concorrente, Paulo Souto (DEM). “Ele já foi governador duas vezes e deixou um histórico da Bahia com vários problemas. Vamos mostrar o porquê de ele não ter feito mudanças, mas não acho que essas críticas serão o aspecto principal da campanha”, comentou Sidônio Palmeira, marqueteiro da campanha petista. Para ele, Rui Costa é o postulante que vai “mudar mais” o estado ao retomar “o patamar em que Wagner deixou a Bahia, melhor do que antes”. Sem dar muitos detalhes à reportagem, o responsável pela propaganda de Souto, Pascoal Gomes, que já tem no currículo o planejamento para a eleição do prefeito ACM Neto (DEM), em 2012, resumiu qual será o foco este ano. “A campanha estará na rua para fazer encontro com a sociedade. É isso que estamos fazendo agora”, pontuou. Ele disse, no entanto, que não apenas Costa será visto como oponente na briga por votos. “A campanha também tem como alvo o candidato que é da oposição e também fazia parte desse governo”, afirmou Gomes, ao tratar da senadora socialista. Nas três entrevistas, os marqueteiros não quiseram dizer quais os principais temas a serem tratados em suas respectivas corridas eleitorais.Bahia Noticias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário