PÁGINAS

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Bahia não empolga no retorno diante do São Paulo e perde a quinta seguida no Brasileirão

O Bahia que a torcida esperava depois da Copa do Mundo não deu as caras na volta do Esquadrão aos gramados. Diante do São Paulo na Arena Fonte Nova, o Tricolor não conseguiu se impor e acabou derrotado por 2 a 0 no duelo da 10ª rodada do Brasileirão, disputado na noite dessa quarta-feira (16). O São Paulo começou dominando o jogo, fez o placar ainda no primeiro tempo e os donos da casa não conseguiram reagir para evitar a quinta derrota consecutiva no campeonato.
O Tricolor volta a campo no sábado (19) e joga fora de casa a partida da 11ª rodada. No Estádio Independência, em Minas Gerais, o Bahia encara o Atlético Mineiro, a partir das 18h30. No mesmo dia e horário o São Paulo receberá a Chapecoense, no Morumbi.
O jogo 
Dono da iniciativa depois que a bola rolou na Arena Fonte Nova, o São Paulo começou dando mais volume de jogo pelo meio-campo e logo nos primeiros minutos mostrou melhor articulação para manter maior posse de bola. Dando as cartas na partida, os visitantes chegaram pela primeira vez aos oito minutos, quando Alvaro mandou o lançamento para a área do Bahia, Alan Kardec pegou de cabeça e tentando encobrir o goleiro Douglas Pires, mas mandou por cima do gol do Bahia.
Bahia levou dois gols rapidamente ainda no primeiro tempo (Foto: Betto Jr)
Melhor em campo e com presença constante na área do Bahia, o São Paulo logo conseguiu uma boa oportunidade para abrir o placar. O pênalti surgiu quando Titi chega atrasado na bola passada para Ademilson, tentou o cortar e derrubou o adversário na área. Rogério Ceni foi para a cobrança aos 12 minutos, chutou no alto do gol e Douglas Pires não alcançou.O Tricolor paulista manteve a pressão, segurou o Bahia no campo de defesa e com boa troca de passes chegou ao segundo gol. Com direito a tabela na área, Alan Kardec recebeu de Ganso na frente do gol e aproveitou para marcar o primeiro dele com a camisa do São Paulo, aos 19 minutos. Literalmente dono da bola no jogo, chegando a apresentar 70% de posse, o time de Muricy Ramalho quase não deixava o Esquadrão jogar.Sem muitas opções por estar preso na defesa, o Bahia ainda ensaiou algumas arrancadas em contra-ataque, mas não chegou a tirar a tranquilidade do rival, que seguiu dominando o jogo até o final do primeiro tempo.
Mal começou a etapa final do jogo e o São Paulo tratou de mostrar que voltava do intervalo com a mesma disposição do primeiro tempo. O primeiro susto aconteceu aos três minutos. Paulo Henrique Ganso ficou com sobra de bola na área do Bahia, encheu o pé na direção do gol tricolor e Douglas Pires conseguiu segurar. 
O quadro de jogo do primeiro tempo praticamente não mudava na segunda etapa. O Esquadrão continuava com pouco dinamismo e velocidade no meio-campo e não consegue segurar a bola para sair jogando. Só quando os visitantes resolveram tirar velocidade é que o Bahia enfim encontrou espaços para as primeiras investidas sobre o rival. Uma boa chance foi criada aos 19 minutos. William Barbio enfiou bola para a área, Rhayner chegou mas chutou fraco e Rogério Ceni conseguiu tirar com o pé.
Ainda sem perder a superioridade no duelo, o São Paulo recuou e passou a jogar no contra-ataque. Mais à vontade, o Bahia tentava impor seu jogo e mostrava mais liberdade para chegar às finalizações. O Esquadrão voltou a ameaçar o rival no chute de Léo Gago, de fora da área, que desviou na zaga do São Paulo e por muito pouco não enganou Rogério Ceni, mas acabou saindo em escanteio, aos 32 minutos. Apesar da insitência do Bahia, faltou criatividade e ofensividade, mesmo com o São Paulo mais atrás, e não aconteceu a reação que a torcida esperava.

Bahia 0 x 2 São Paulo - 10ª rodada do Brasileirão 2014
Data: 16/7/2014, qua, 22h
Local: Arena Fonte Nova, Salvador
Árbitro: Dewson Fernando Freitas (PA)
Assistentes: Luis Diego Nascimento (PA) e Heronildo Freitas (PA)

Bahia: Douglas Pires; Diego Macedo, Titi, Demerson e Guilherme Santos; Fahel, Léo Gago e Wilson Pittoni (Emanuel Biancucchi); Henrique (Jeam), Maxi Biancucchi (William Barbio) e Rhayner. Técnico - Marquinhos Santos 

São Paulo: Rogério Ceni, Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Maicon (Denilson) e Ganso; Ademilson, Alan Kardec (Alexandre Pato) e Osvaldo (Boschilia). Técnico - Muricy Ramalho. Correio da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário