PÁGINAS

terça-feira, 10 de junho de 2014

Alemães passeiam por Cabrália vestidos com camisa do Bahia

Enviado Especial a Santa Cruz Cabrália - Na segunda-feira, 9, por volta de meio-dia, caminhando tranquilamente pelas ruas de barro de Santo André, distrito de Santa Cruz Cabrália, dois amigos trajavam camisas do Bahia. A cena, a princípio, não havia por que chamar a atenção. Como, de fato, não chamou.
Mesmo suas fisionomias fortemente arianas, que contrastavam com os mestiços e negros nativos da região, não eram estranhas. O local está acostumado a receber turistas. Fora que, por estes dias, está com a presença de mais de mil alemães devido à Copa do Mundo. São jornalistas, membros da federação e staff de um modo geral. As camisas tricolores poderiam ser souvenir que os visitantes levariam de recordação.
Tanto que nenhum nativo, no primeiro momento, os reconheceu. Até que uma pessoa olhou para o que caminhava na frente e disse: "Você não é o Schweinsteiger?!". O que vinha atrás, com um sorriso claramente irônico, mas, ao mesmo tempo, muito simpático, emendou: "Não é, não". Foi o suficiente para que esse segundo alemão, visto agora com mais clareza, também fosse reconhecido: "Ei, e você é o Neuer!".

Pois era exatamente isso. Dois astros do futebol mundial caminhavam tentando interagir com os baianos. Ainda por cima, protagonizaram um cena digna dos grandes sonhos da torcida tricolor. Um dos melhores meias do mundo, Schweinsteiger, e aquele que é, indiscutivelmente, o maior goleiro do mundo, Neuer, estavam vestindo a camisa do Bahia. O primeiro trajava uma retrô do título brasileiro de 1988. O segundo, a tricolor de 2012 e 2013, uniforme número 2 da época.

Ambas as camisas foram presenteadas por Dante, zagueiro da Seleção Brasileira e do Bayen de Munique, onde jogam as duas estrelas alemãs. Dante é torcedor declarado do Bahia.

Recado para Dante

A partir dali, Schweinsteiger e Neuer chegaram aonde queriam: gravar, em homenagem ao amigo Dante, um vídeo como torcedores tricolores.

"Venham para cá! Junta todo mundo aí. Quem gosta do Bahia? Vamos gravar um vídeo", pediu Schweinsteiger, entre mímicas e palavras em inglês, para as pessoas que passavam pela rua. Além de dois nativos, mais três baianos de Salvador entraram na folia. Esses dois trabalhavam no staff do Campo Bahia, onde a seleção da Alemanha está hospedada. Quem, do celular de Schweinsteiger, fez a filmagem foi Daniel Franz, funcionário da Federação Alemã de futebol.

Tanto o meia quanto o goleiro tiveram, pela falta de conhecimento da língua portuguesa, dificuldade em cantar o hino. Porém, eram entusiasmados na hora de bradar "Bahia, Bahia, Bahia". Algumas pessoas que passavam pelo local também gravaram a cena em seus celulares. Vídeos alternativos circularam o mundo inteiro pela internet.

No fim, Schweinsteiger e Neuer bateram um rápido papo com A TARDE. "Quero ver a cara de Dante (risos). Acho que ele vai gostar muito. Vou mandar os vídeos ainda hoje para ele. É um grande amigo e um grande jogador", disse o meia.

O goleiro, que não sabe identificar nenhum jogador do Bahia, emendou: "Sei que é um time de uma torcida muito grande e apaixonada. É o time mais popular do estado. E tem um hino muito empolgante. Desde que soube que ficaríamos baseados na Bahia, quis conhecer ainda mais do clube. Já gosto dele por causa das cores (refere-se a azul e ao vermelho, as mesmas do Bayern) e do Dante. E o hino ajuda!".A Tarde

Nenhum comentário:

Postar um comentário