PÁGINAS

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Oposição ao governo baiano inicia campanha por Vitória da Conquista

A largada oficial da campanha da chapa oposicionista na Bahia, na manhã desse sábado (26/4) em Vitória da Conquista, deixou claro, mais uma vez, que a política é um território surpreendente, onde a união de esforços em torno de um interesse comum, é capaz de eliminar divergências históricas.Quem poderia imaginar que ACM Neto, herdeiro do legado político do emblemático e polêmico Antônio Carlos Magalhães, estaria um dia no mesmo palanque que alguns dos adversários históricos do avô, como Geddel Vieira Lima, Nilo Coelho e Joaci Goes?
A habilidade diplomática do jovem prefeito de Salvador, apontado nas pesquisas de opinião pública como um dos melhores do país, o torna muito mais próximo do estilo de atuação política do tio, Luis Eduardo Magalhães, reconhecido como um conciliador nato, e o deixa mais distante do jeito intempestivo e centralizador do velho ACM,
Cerca de 500 pessoas lotaram o Espaço Rafiki em Vitória da Conquista para receber a chapa da oposição, que veio com força máxima, trazendo os seus principais representantes: Paulo Souto (DEM), candidato a governador, Geddel Vieira Lima (PMDB), que vai disputar uma vaga no senado, e Joaci Goes (PSDB), candidato a vice.
O evento contou com a participação de lideranças políticas de toda a região sudoeste do estado, como o ex-governador Nilo Coelho (PSDB), e os candidatos a vagas na Assembléia Legislativa, Hérzem Gusmão (PMDB) e Claudionor Dutra (PSDB). Nomes expressivos dos partidos que compõem a chapa oposicionista, como o deputado federal Antônio Imbassahy (PSDB) e José Carlos Aleluia (DEM), também estiveram presentes.
Durante o encontro a oposição deixou claros vários pontos de sua estratégia. Para justificar o fato de ter sido adversário ferrenho do velho ACM, e hoje estar no mesmo palanque que Neto, por exemplo, Geddel disse em seu discurso:

- Já errei na minha avaliação, numa eleição para governador, ao apoiar um projeto que se mostrou fracassado – referindo-se ao fato de ter apoiado a candidatura de Wagner – e agora tenho chance de corrigir o meu erro – explicou o candidato ao senado. Ele disse ainda que não está contrariado por não ter sido indicado para concorrer ao governo e que está totalmente engajado no projeto que pretende eleger Paulo Souto governador.

Sobre ACM ele disse:

- Fui adversário de ACM porque, naquele momento, achava que divergir era o melhor caminho. Bati e apanhei muito nas nossas disputas políticas. Apanhei mais do que bati, justiça seja feita. Mas sempre reconheci nele o mérito de grandes realizações que beneficiaram a Bahia – argumentou.

O prefeito de Salvador, ACM Neto, classificou a união da oposição em torno de uma candidatura comum, como uma prova de maturidade política. Já Paulo Souto tratou de deixar as portas abertas para novas adesões:

- Sei que muitos que estiveram conosco durante o período em que estivemos no governo, hoje estão apoiando o governo atual, o que considero muito natural no jogo da política. Mas isso não impede que tenham mudado de ideia outra vez e resolvam voltar pro nosso lado. Serão recebidos de braços abertos – arrematou Paulo Souto.

Depois do evento no Espaço Rafiki, parte da comitiva seguiu para a fazenda do ex-governador Nilo Coelho, na zona rural do município, onde foi oferecido um almoço.

O transtorno que virou um prato cheio

O evento da chapa da oposição em Vitória da Conquista, que estava marcado para começar às 10 da manhã, foi iniciado com uma hora de atraso, porque os aviões da comitiva não conseguiram descer. As condições climáticas e a falta de estrutura do aeroporto local, que além de não oferecer o mínimo conforto aos usuários, não tem um equipamento que permita o pouso e a decolagem das aeronaves com o tempo nublado, foram as causas do atraso.

As obras do novo aeroporto da cidade, que já deveriam estar em um estágio avançado, estão sendo tocadas em ritmo muito lento, mesmo com a maior parte das verbas liberadas pelo governo federal. Os oposicionistas aproveitaram o transtorno que tiveram, para reforçar o descaso do governo do estado, responsável pelas obras do novo aeroporto, com a construção de um equipamento tão importante para a região, e não perderam, é claro, a oportunidade de prometer que a conclusão dessa obra será prioridade, caso sejam vitoriosos nas eleições de outubro.Tribuna da Bahia. Inserção de foto Tvsaj

Nenhum comentário:

Postar um comentário