PÁGINAS

sábado, 5 de abril de 2014

Concluído com chave de ouro o 1o. Encontro Municipal de Desenvolvimento Sustentável, em S.A.JESUS


Por ANTONIO MASCARENHAS
Encerrado, na tarde dessa sexta-feira, 04, o 1º. Seminário Municipal de Desenvolvimento Sustentável de Santo Antonio de Jesus com a realização de palestras e mesas redondas com temáticas por demais interessantes, na  medida em que suscitaram reflexões por parte de representantes da sociedade, dentre eles, estudantes do CETEP. O evento, organizado pela Secretaria de Agricultura, Comércio, Indústria e Meio Ambiente, capitaneada por José Carlos Toneto, contou com apoio do prefeito Humberto Leite e parceria com GANA, INEMA, IBAMA, ACRB, EMBRAPA, EBDA, CETEP, UNEB, CREA, ASSOCIAÇÃO COMERCIAL, EMBASA e SINDICATO RURAL. 
Além de Toneto, Taiana e demais integrantes da pasta, presenças de Gilmar Dourado (Chefe do EBDA em S.A.Jesus e região, ao lado de Geraldo Carvalho), Alden Araújo (ARCAP), Ayres Duarte (paulista, pai do professor Leandro, da UFRB), os palestrantes Zulmira Sena, Dr. Sérgio Carvalho (EBDA, Prof. na UFRB, FAMAN, e CETEP), Evandro Luiz Mendes Ramos (ERB-Aratinga),Conceição Gonzalez (empresária, diretora da SUDIC) E Luiz Fávero (Diretor da UFRB);   
Maria da Paz (representando o SESC), Nete Mascarenhas (Colégio Santo Antonio), Iniciando os trabalhos, a palestra proferida por ZULMIRA SENA (formada em agropecuária e equoterapêuta do Centro de Equoterapia “Nosso Lar” de Camaçari-BA) que ministrou apresentações sobre “perspectivas da equinocultura baiana e fundamentos da equoterapia”. Zulmira traçou toda uma trajetória da equoterapia, destacando nuances técnicas necessária ao perfeito exercício do esporte. Enfatizou benefícios no que tange à postura, coordenação motora e à sensibilidade. 
Segundo ela, a prática facilita a integração social e afetiva, estimula o funcionamento dos órgãos internos e aumenta a autoestima e a auto-confiança, promovendo a sensação de bem-estar. Em seguida, Dr. SÉRGIO CARVALHO (EBDA e professor na UFRB,FAMAN, CETEP), proferiu palestra sob a temática “Manejo e Conservação de Solos”. Além de mostrar vários tipos de solo, condições da terra (produtiva ou não), melhores plantas para experimentos genéticos, a importância da descompactação dos solos, mostrou técnicas empreendidas para análise desses mananciais e como a sociedade poderá contribuir para que a terra continue sendo a fonte primária para a geração de alimentos.
Em seguida, apresentações teatrais por parte de alunos, enfocando a questão da contribuição da população com relação a preservação do meio ambiente, Após o almoço, a palestra conduzida por EVANDRO LUIS MENDES RAMOS (representante da ERB-Aratinga, empresa com sede em São Paulo, filiais no triângulo mineiro, Candeias, Alagoinhas e, em breve, em Alagoas) e que lida com energia renovável a partir de eucalipto e outras espécies arbóreas.
Em sua fala, Evandro Luiz discorreu sobre cadeia produtiva, cadeia de valores da terra em diversos rincões do país, destacando o alto preço no Paraná (cerca de 13.000,00), enquanto que no Amapá gira e torno de R$700,00 o hectare e que, em razão disso, e preciso que os produtores busquem alternativas de plantio. Discorreu sore o lucrativo negocio com o cultivo do eucalipto e, em meio aos questionamentos, procurou desmistificar colocações de que essa espécie possa provocar desequilíbrio ambiental.
Prosseguindo, Dra. CONCEIÇÃO GONZALEZ (empresária, diretora do SUDIC), tecendo considerações sobre a temática “Perfil e Vocação Socioeconômica de S.A. Jesus e suas potencialidades” procurou situar Santo Antonio de Jesus no contexto regional, oportunidade em que enfocou a trajetória de desenvolvimento do município, principalmente, a partir da construção da BR-101. Falou sobre a importância da construção e entrada em funcionamento do Estaleiro do Paraguaçu e a provável construção da ponte Salvador-Ilha de Itaparica, ensejando a formação de um “corredor econômico” que beneficiará Santo Antonio de Jesus e municípios do entorno.
Falou, também, do “bônus”da oferta de produtos e serviços, todavia, contrapôs com o “ônus” da supervalorização imobiliária que, via de regra, fomenta a desigualdade social. Vê com bastante otimismo o desenvolvimento agropecuário e a implementação do comércio e indústria com a chegada de novas empresas ao município. Fechando, com chave de ouro, a fala do Diretor da UFRB, LUIZ FÁVERO, que, além de enaltecer a importância do evento, aproveitou o ensejo para externar críticas construtivas ao se referir ao recrudescimento do transporte coletivo em S.A.Jesus.Reputamos que as palestras e mesas redondas oficinas foram bastante proveitosas, não apenas pelas informações mas, também, pelas discussões que afloraram. Fotos Antonio Mascarenhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário