PÁGINAS

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Psol abre representação contra Rachel Sheherazade e SBT por apologia ao crime

Psol abre representação contra Rachel Sheherazade e SBT por apologia ao crime
A 'boa moça' do jornalismo televisivo do SBT, Rachel Sheherazade, junto com a emissora, se tornou alvo de uma representação no Ministério Público, ainda não formalizada, apresentada pelo Psol. O partido formalizará a denúncia ao órgão por apologia ao crime. A jornalista, na edição do Jornal do SBT Brasil da última terça-feira (4), exaltou o comportamento de um grupo de pessoas que prendeu um rapaz nu em um poste, acorrentado por uma trava de bicicleta. O rapaz de 16 anos foi acusado de cometer furtos no bairro do Flamengo, na capital do Rio de Janeiro. Sheherazade classificou o grupo como “justiceiros”. O jovem teve uma parte da orelha cortada e só foi libertado depois que uma moradora da região chamou os bombeiros para libertá-lo. Em nota, o Psol afirmou que “em pleno meio de comunicação, em horário nobre, foi feita a apologia de crime”. O comunicado destaca que “a jornalista e o SBT fizeram incitação ao crime, à tortura e ao linchamento”.
O líder do PSol na Câmara dos Deputados, Ivan Valente (Psol-SP) disse ainda que “essa jornalista simplesmente disse que tem razão os vingadores que fizeram justiça com as próprias mãos, em torturar, porque a polícia para ela está desmoralizada, a Justiça não opera e é necessário voltar ao velho Oeste e fazer justiça com as próprias mãos”. O deputado afirma defender a liberdade de imprensa, mas que condena a utilização dos veículos para práticas abusivas. “Defendo total liberdade de imprensa, mas não a liberdade para mandar torturar, matar, assassinar e fazer justiça com as próprias mãos. Ser anticonstitucional, ilegal e aplaudida, para quê? Atrás do Ibope, atrás do medo da população, da marginalidade, atrás daquilo que não se investe em saúde, em educação, em mobilidade urbana, em resposta à pobreza que está aí?” questiona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário