PÁGINAS

sábado, 11 de janeiro de 2014

Verão aumenta risco de formação de pedra nos rins, adverte urologista


Verão aumenta risco de formação de pedra nos rins, adverte urologista
Fatores comuns na estação mais quente do ano, como calor intenso, aumento da transpiração e baixa ingestão de água, podem aumentar o risco de pedra nos rins. Hábitos saudáveis como mudar a alimentação e beber líquidos regularmente, além de observar a coloração da urina, são algumas medidas que podem evitar os cálculos renais, orienta o urologista Fábio Vicentini, do Centro de Referência para a Saúde do Homem, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. De acordo com o médico, os casos de cálculo renal aumentam 30% nos períodos mais quentes do ano. Mesmo com maior incidência nos homens, o especialista alerta que todos devem adotar as medidas para cuidar da saúde dos rins. “A dieta ideal inclui primordialmente o aumento da ingestão de líquidos – cerca de dois litros de água por dia e de sucos de frutas cítricas –, associado à diminuição do uso de sal nos alimentos. As refeições diárias devem conter mais verduras, legumes, frutas e saladas.” Apreciado, principalmente pela população litorânea, o consumo de frutos do mar deve ser cuidadoso. Essas iguarias apresentam índice elevado de ácido úrico, um dos responsáveis pelo desenvolvimento dos cálculos renais. Segundo Vicentini, é importante também reduzir as frituras e o consumo de carne vermelha no período de calor. No mundo, mais de 15% da população global apresenta cálculos renais e a maioria (85%) consegue expelir as pedras naturalmente, pela urina. “A maneira mais fácil de monitorar a hidratação ideal do corpo é observarmos a coloração da urina. Quanto mais transparente estiver, melhor. Se estiver com aparência amarelada e escura, é sinal de que o corpo precisa de mais líquidos para manter-se hidratado, longe dos cálculos renais”, disse. Informações da Agência Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário