PÁGINAS

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Presidente do PCdoB 'desautoriza' deputado e mantém Alice no páreo pela vice de Rui








O deputado federal Daniel Almeida, presidente do PCdoB baiano, desautorizou o parlamentar estadual Fabrício Falcão de falar sobre a situação do partido na briga pela indicação do candidato a vice na chapa liderada pelo petista Rui Costa na disputa pelo Palácio de Ondina. Em contato com o Bahia Notícias, o dirigente negou que a legenda tenha retirado a reivindicação para que a também congressista Alice Portugal seja a escolhida para a vaga. "Essa opinião que foi expressa pelo deputado Fabrício Falcão é exatamente o oposto da posição que o partido tem. O partido não abre mão da posição sobre a escolha da vice. Afirmamos a necessidade de se discutir o critério para a composição da chapa, que leve em conta a possibilidade de ter uma mulher para tornar a chapa mais próxima do perfil do eleitor. Se o critério for vitorioso, temos alternativa a oferecer, que é o nome da deputada Alice", reiterou o chefe comunista. Sobre a questão da força de PP e PDT – que pleiteiam o posto com Mário Negromonte e Marcelo Nilo – Daniel lembra que em 2006, na primeira eleição de Jaques Wagner (PT), a exposição na mídia e o arco de alianças foram inferiores ao conquistado na derrota de Nelson Pelegrino na batalha pela prefeitura de Salvador em 2012. "Isso mostra que a vitória não depende só de tempo de televisão e número de palanques e sim de um programa e uma chapa que reflitam a expectativa da sociedade. O projeto é forte pelo programa de governo que defende, pelas lideranças que compõem o projeto e pela capacidade de transmitir isso para o conjunto da sociedade", avaliou o comandante do PCdoB. Segundo ele, o próprio Wagner não limitou a briga a Negromonte x Nilo. "O governador em nenhum momento nos disse que a preferência está entre um e outro partido. Disse que levaria em conta todas as opiniões dos partidos da base e que o nome seria definido no momento oportuno, com responsabilidade", relatou. Em composições anteriores, a escolha da senadora Lídice da Mata (PSB), eleita em 2010, e da vice de Pelegrino há dois anos, Olívia Santana (PCdoB), não levou em consideração exclusivamente o potencial eleitoral das representações partidárias da coligação. Por Evilásio Júnior. B.Noticias. FBoto: Tiago Melo/Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário