PÁGINAS

domingo, 12 de janeiro de 2014

A importância do respeito às minorias e etinias: "Com o corpo pintado, índio marca, mas Paysandu vence na estreia"

Time da tribo Kyikatejê estreia na elite do futebol paraense dando trabalho 
ao Papão, que vence na Curuzu com gol de Zé Antônio no último minuto
O time indígena Gavião fez a sua estreia na elite do futebol paraense neste sábado, na derrota de 2 a 1 para o Paysandu, na Curuzu. O gol dos visitantes foi marcado por Aru, que entrou em campo com o corpo pintado, seguindo as tradições da tribo Kyikatejê – distante cerca de 480 quilômetros de Belém. 
O confronto, que parecia favorável aos bicolores, foi difícil. O estreante Lima abriu o marcador de cabeça no primeiro tempo, até que o artilheiro da língua “jê” apareceu para assinar seu primeiro gol na elite do estadual. Aru igualou aos 31 da etapa complementar. Quando o empate já era comemorado pelos índios, Zé Antônio deu a vitória para o Papão. 
Agora, na segunda rodada, o Paysandu enfrenta o Santa Cruz-PA, na próxima quarta-feira, dia 14, também na Curuzu. Já o Gavião retorna para o sudeste do Estado e recebe o São Francisco, no Zinho Oliveira, no mesmo dia. Os dois jogos iniciam às 20h30. 
Estreante Lima faz o primeiro gol do Parazão
Um Paysandu bem diferente daquele que terminou a Série B entrou em campo para enfrentar o Gavião. Mazola Júnior escalou a equipe com três volantes e, ainda, alguns jogadores que tiveram poucas oportunidades na última temporada. Com Djalma e Lineker na criação, o Papão alternou bons momentos, principalmente, com o atacante Lima, sempre bem posicionado na área adversária. 

Já os indígenas do Gavião sentiram um pouco a pressão da estreia contra um dos grandes do Pará. A equipe passou a maior parte do primeiro tempo no campo de defesa. Aru pouco tocou na bola, pois seus companheiros não conseguiam fazer a conexão do meio com o ataque. Restou ao Gavião apostar nos contra-ataques e nos chutes de longa distância, principalmente com Luiz Fernando, ex-Águia.
Com o Paysandu melhor em campo, o gol parecia questão de tempo. E foi. Aos 24 minutos da etapa inicial, Djalma cruzou na medida para Lima, estreante, cabecear para baixo e abrir o marcador: 1 a 0. Os bicolores só não conseguiram ampliar por falta de pontaria. João Paulo, próximo dos 40, subiu mais alto que a zaga do Gavião, mas a bola acabou passando bem pertinho da trave direita do goleiro Wirias. 

Índio Aru empata, mas Zé Antônio "salva" o Paysandu 
A etapa complementar seguiu do mesmo jeito que o primeiro tempo: com o Papão ditando o ritmo do duelo e o Gavião apostando em lances pontuais para tentar surpreender e empatar. Conseguiu. O Paysandu diminuiu o ritmo e o time de índios aproveitou para explorar as laterais e os cruzamentos na área. Em uma deles, o artilheiro Aru foi mais rápido que a zaga bicolor e empatou de cabeça: 1 a 1.
Com o jogo empatado, Mazola Junior colocou mais um atacante. O treinador tirou o lateral-esquerdo Airton e colocou Dênnis para ainda tentar a vitória. Não deu resultado. A vitória só saiu no finalzinho. Zé Antônio subiu mais alto que os defensores do Gavião e fez 2 a 1 aos 45 do segundo tempo.G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário