PÁGINAS

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Campeonato Brasileiro: a sonolência dos "pontos corridos". Deveria voltar o sistema de "mata-mata"?

Por ANTONIO MASCARENHAS
O campeonato brasileiro de futebol, Série A, é, insofismavelmente, uma das maiores competições esportivas do planeta, levando consideráveis públicos aos estádios dos principais centros  do desporto nacional. Uma competição que poderia, muito bem, ser coroada com emoções positivas não fosse o incidente ocorrido quando da realização da partida realizada na Arena Joinvile, em S.Catarina, envolvendo Atlético (PR) 4 X 1 Vasco da Gama em que três torcedores, após violentos espancamentos, foram enviados ao Hospital em gravíssimo estado. Uma lamentável situação que desencadeou manchetes nos principais meios de comunicações do mundo, realçando a atual situação reinante nas praças esportivas do país.
Em que pese a questão de insegurança reinante, o  certame que foi encerrado nesse domingo, 08, com a realização dos últimos jogos do campeonato, a grande expectativa girava, não em torno da decisão do título entre as equipes participantes, já que o Cruzeiro já havia levantado a taça há algumas rodadas de antecedência, mas, na definição dos nomes que restavam descambar para a Série B (Vasco e Fluminense), na disputa direta com Criciúma e Coritiba, salvos pelo “gongo”.  
No outro extremo da tabela, a expectativa reinava entre torcedores do Vitória, Goiás e Botafogo na busca de vagas no G4 (grupo que irá disputar a Libertadores) e que poderá ficar restrito a G3, caso a Ponte Preta sagre-se vencedora no jogo contra o LANUS da Argentina, pela Sul Americana.
Como se pode observar, o sistema de pontos corridos tem se mostrado sonolento durante o transcorrer do campeonato na medida em que, em determinado  momento, já seja possível prognosticar o nome do campeão com algumas rodadas de antecedência. A “briga” fica fadada, apenas, na luta pelos que anseiam ingressar no G4 e na das equipes que digladiam para  não caírem para a Série B.
Antigamente, com o campeonato disputado em chaves distintas em que os melhores classificados partiriam para as disputas "mata-mata" em octogonais, quartas-de-final ,semifinais e final, reservava mais emoções às equipes e, por extensão, a grande massa de torcedores.
Há, evidentemente, defensores dos dois sistemas: pontos corridos e por chaves. Compete aos organizadores efetuarem uma pesquisa de âmbito nacional para colher opiniões a  respeito dessas duas vertentes de disputa.Imagens ilustrativas, divulgação.
Veja matéria pertinente,discorrendo a respeito desse sistema de disputa em outros países, publicada por Márcio Ordacgi, clicando em LEIA MAIS


ABAIXO OS PONTOS CORRIDOS
Por Márcio Ordacgi – Blog Tédio Profundo, em 10.11.13
Já disse antes que esse campeonato brasileiro está muito chato. Não é pelo fato do Vasco estar mal das pernas e não sair de um estranho 17° lugar, mas sim pelo sistema de disputa. O campeonato por pontos corridos não atrai público. No início do campeonato (que tem 46 rodadas!), ninguém vai porque "os jogos ainda não valem nada". No meio do campeonato (a época com melhores públicos), só vão para o estádio as torcidas daqueles 7 ou 8 times que ainda têm chance real de disputar o título. No final, como podemos presenciar atualmente, só mesmo a torcida dos 2 times que ainda disputam efetivamente a alcunha de campeão. Nem mesmo a fuga do rebaixamento atrai muita gente, pois ninguém gosta de assistir o seu time indo pro buraco.



Aí vem aquela manjada alegação: "Mas tem a disputa pela vaga da Libertadores!" Balela. Nenhum torcedor dos grandes times do Brasil entra num campeonato torcendo para o seu time chegar em 5° e ir para a Libertadores. A cultura futebolísica em nosso país valoriza apenas uma coisa - e com razão - o título. Assim, como apenas Cruzeiro e Santos podem vencer, só essas torcidas comparecem aos estádios e ligam em massa suas TVs para assistir aos jogos. E tem mais. Já viu coisa mais chata que é o campeonato acabar com 2, 3 ou 4 rodadas de antecedência? Semana que vem, se o Cruzeiro ganhar e o Santos perder, o time de Minas é campeão com 3 rodadas de antecipação. E as outras? Ninguém vai assistir. E mesmo a torcida do Cruzeiro, imaginem que divertido: O Santos perde para o Fluminense na Vila Belmiro e o Cruzeiro ganha no Pinheirão do Paraná. É campeão. E a torcida? Ah, tá lá em Minas... E o estádio? Vazio, pq o Paraná não tá disputando mais nada... Que emoção...


Surge aquela outra frase pronta: "Mas na Europa é assim há anos e sempre funcionou." Claro, o futebol lá é totalmente diferente do daqui. Os campeonatos têm pouquíssimos clubes campeões, são sempre os mesmos. Há praticamente um monopólio, no máximo um oligopólio de clubes que vencem campeonatos. Aqui no Brasil, só para se ter uma idéia, desde que começou o Campeonato Brasileiro (1971), tivemos 32 campeonatos e 16 campeões. Na Europa é totalmente o oposto. Vejamos:

Desde 70-71 (mesmo tempo do campeonato brasileiro), 9 times ganharam o campeonato italiano:
Internazionale (3), Juventus (14), Lazio (2), Torino (1), Milan (7), Roma (2), Verona (1), Napoli (2) e Sampdoria (1). De 33 Campeonatos, Juventus e Milan ganharam 21.

Em Portugal, nem se fale...
Só Porto (14), Benfica (13) e Sporting (5) ganharam mais de 1 vez na história. O Boavista venceu apenas 1 vez, em 2000/2001. O Belenenses, o outro time que já venceu o campeonato de lá, só o fez em 1945/46! 3 Times para 32 campeonatos...

Na Inglaterra, os campeões desde 70/71 tb são 9:
Arsenal (5), Derby County (2), Liverpool (11), Leeds (2), Nottingham Forest (1), Aston Villa (1), Everton (2), Manchester (8) e Blackburn (1). Arsenal, Liverpool e Manchester ganharam 24 dos 33 títulos.

Na Espanha, foram campeãs 7 equipes:
Valência (2), Real Madrid (15), Atletico Madrid (3), Barcelona (8), Real Sociedad (2), Athletic Bilbao (2) e Deportivo La Coruña (1). Real Madri e Braça dominam, com 23 títulos em 33 possíveis.

Na França, a situação é a seguinte:
Olympique Marseille (7), Nantes (6), Saint-Etienne (4), Monaco (5), Strasbourg (1), Bordeaux (4), Paris S.G. (2), Auxerre (1), Lens (1) e Lyon (2) são os 10 vencedores dos 33 campeonatos. Certamente o campeonato mais "bem disputado" dentre os principais na Europa, já que cinco equipes ganharam 4 ou mais títulos, ou seja, 26 do total. Mesmo assim, a paridade nem se compara com a brasileira.

Ainda, na Alemanha os resultados são estes:
Borussia Mönchengladbach (4), Bayern de Munique (16), Köln (1), Hamburgo (3), Stuttgart (2), Werder Bremen (2), Kaiserslautern (2) e Borussia Dortmund (3) são os 8 campeões. Aqui o "monopólio" de títulos é patente. Quase metade dos 33 campeonatos foram vencidos pelo Bayern de Munique.

Somente para dar mais um exemplo claro do que falo, vamos falar do futebol holandês:
Feijenoord (5), Ajax (14), P.S.V. (13) e A.Z. '67 (1) são os únicos campeões desde 70/71, sendo que o Feijenoord só ganha esporadicamente e o A.Z. '67 (que eu nem sabia que existia) somente se sagrou campeão em 80/81.

Esses dados deixam mais do que explícito uma coisa. Se vc vive na Europa e torce para um dos "grandes", vc vai torcer para que seu time seja campeão todos os anos (como aqui) e como normalmente esses times ganham mesmo, os estádios ficam cheios do início ao fim da temporada (com o óbvio auxílio das vendas antecipadas, que seriam difíceis de ser implantadas aqui, justamente por causa do que será comentado no parágrafo abaixo). Se vc torce para um time mediano, vc sabe que seu time não vai ser campeão de jeito nenhum. Portanto, o melhor que vc pode conseguir é torcer pra ele chegar em 6° e garantir a Copa da UEFA, ou algo semelhante. E eles estão acostumados a torcer assim. Um time meia-boca vencer uma partida que seja do Real Madri, por exemplo, já é motivo pra festa, é como se fosse um título. Assim, os estádios tb ficam cheios.

No Brasil, como a maioria dos times grandes já foi campeão (só faltava o Cruzeiro, problema que será resolvido esse ano), todo mundo entra torcendo pelo título, não importa o quão ruim é o plantel da equipe. Quando o torcedor percebe que não vai ser campeão, perde o interesse e os estádios esvaziam. Exatamente por isso, o sistema de playoffs com os 8 melhores colocados da 1ª fase pode não ser o mais justo, mas é o mais interessante (além disso, desde quando futebol é justo?). Quero dizer, se o sistema fosse de classificar os 8 primeiros, a torcida do Flamengo (para dar um exemplo), que hoje está em 10°, lotaria sempre o estádio torcendo por uma classificação em 8°, já que aí o time teria chances de ser campeão, e não por causa de vaga na Libertadores ou Copa Sulamericana. Com o sistema atual, nem a urubuzada tem saco de ir ao estádio. Taí o porquê de não funcionar venda antecipada aqui. Sabe-se lá se o time vai estar bem? E vc acha que eu vou gastar meu dinheiro pra comprar todos os ingressos pra ver meu time chegar em 17°????



Abaixo os Pontos Corridos! (Daniel Marques) - coluna publicada no site Flamengo-RJ (14/12/2003)
Como o título da coluna sugere, eu estou entre a minoria que é contra o Campeonato Brasileiro em turno e returno por pontos corridos. Para mim a fórmula ideal seria com o mesmo número de 24 clubes atual, jogando em turno único classificando os oito melhores para uma segunda fase de mata-mata com jogos de ida-e-volta, sendo assim também nas semi-finais e na final, sendo os quatro últimos rebaixados e os quatro primeiros da Segundona subindo no ano seguinte.
Os motivos para essa minha posição são simples, o campeonato atual é excessivamente longo e restritivo, são longas e intermináveis 46 rodadas (que mesmo com 20 times e 38 rodadas em 2006 ainda será longo demais), com no máximo 4 ou 5 times ao final do turno e 2 ou 3 times nas últimas rodadas brigando pelo título e no máximo uns 6 ou 7 brigando contra o rebaixamento, deixando pelo menos 10 times sem disputar nada de importante. E não me venham dizer que brigar por vaga em Libertadores ou Sul-Americana motiva o torcedor, a diminuição da média de público desse Brasileiro em relação aos anteriores mostra o contrário.
Um campeonato com seis meses de disputa, oito se classificando e quatro caindo é muito mais dinâmico, abrangente e emocionante, pois volta a colocar de 12 a 15 times na disputa pela classificação e conseqüentemente pelo título, e 8 ou 9 na briga contra o rebaixamento, deixando praticamente todos os times brigando por algo realmente importante no campeonato. E o fato de haverem finais ainda é melhor financeiramente, a TV paga mais pelos direitos de transmissão, afinal as finais sempre dão uma grande audiência, mobilizam o país inteiro em torno desses jogos decisivos.
E o principal motivo para a volta do mata-mata no Brasileirão ser necessária para nós rubro-negros é o fato de o Flamengo não ter costume de ficar em primeiro lugar numa fase de pontos corridos do Brasileiro, o clube sempre cresceu mesmo nas decisões. Em 1987 e 1992, por exemplo, os melhores times na fase de pontos corridos foram Atlético-MG e Vasco respectivamente, e o Flamengo atropelou os dois na segunda fase dos campeonatos e foi campeão depois. Se o Brasileiro já fosse apenas em pontos corridos desde 1971 o Flamengo dificilmente seria pentacampeão.


Quero o Mata-Mata! (Willian Ceolin) - carta publicada na revista Placar 1275 (outubro/2004)
Ouvi dirigentes da CBF falarem do sucesso do campeonato nacional disputado por pontos corridos. Está certo que o filtebol está se organizando e o campeonato está indo bem. Não há os problemas que havia em outros anos, mas daí falar que os pontos corridos estão sendo sucesso no Brasil é brincadeira, né? Os estádios nunca estiveram tão vazios, os clubes estão começando a se contentar com o vigésimo lugar. Será que para clubes como Botafogo, Flamengo, Grêmio e outros isso deveria ser comemorado? O torcedor está perdendo a vontade de ir assistir seu time jogar. Que graça tem assistir a um jogo que não valerá nada no futuro? Ou o torcedor também vai começar a se contentar com posições intermediárias e passar a ir em jogos de Botafogo, Flamengo, Grêmio, Paraná, Guarani, etc. para comemorar colocações sem valor? Não dá para jogar um ano inteiro apenas por posições insignificantes em um campeonato desse tipo. Afinal, para o torcedor brasileiro, classificação para competições sul-americanas não basta. O torcedor quer títulos e um futebol disputado. Queremos a volta do mata-mata, e já!


Campeonato Brasileiro por Pontos Corridos (Jean Flávio) - publicado no fórum AOL Esporte (10/05/04)
Idéia de jerico. Interessante que a fórmula da série B premia não só a regularidade, mas também a capacidade do clube em jogos decisivos. E isto sem o tudo ou nada do mata-mata. Basta lembrar que o campeão e o vice da série B do ano passado só foram conhecidos na penúltima rodada, com cada técnico de olho na calculadora e no rádio de pilha.
Que motivação pode ter uma equipe do pelotão intermediário? um campeonato dessa natureza é igual cruzamento de égua com touro: nem dá leite nem dá carreto. Ou seja, é tedioso, chato, desmotivante, tal como a cabeça de quem idealizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário