PÁGINAS

domingo, 17 de novembro de 2013

PICOPEL PIMENTA tece considerações sobre empreendimento em S.A.Jesus e sonha com com Rio Sururu despoluído


Por PICOPEL PIMENTA
Estão de parabéns as empresas Ebisa e Construterra, os proprietários das fazendas BH, a cidade de Santo Antonio e também os convidados que puderam ver de perto o lançamento desse empreendimento que vai aquecer sobremaneira o setor imobiliário da região.
Os representantes do empreendimento falaram sobre tudo o que vão oferecer aos interessados em morar naquele paraíso. Aos que prestigiaram com suas presenças àquela cerimônia. Falaram de tudo: No novo conceito de moradia, na excelente segurança que será instalada para a tranqüilidade dos investidores/moradores, no cinema, clube, parque de diversões, piscina, etc. Não preciso falar nada, sobre mais nada, até porque não sou expert nesses assuntos. 
A minha alegria ficou contida, mas encontro-me cheio de esperanças por que acredito, embora tal assunto não tenha sido ventilado pelos oradores , que aqueles empreendedores terão forçosamente que revitalizar o Rio Sururu. Esse querido rio foi o berço em que, embalado pelos sonhos do Padre Mateus, surgiu a mais morena cidade do sudoeste baiano, Santo Antonio de Jesus. 
Poluído e assoreado, ele margeia toda a área desse magnífico empreendimento e, sendo ele parte importante na alimentação dos lagos que ornamentarão aquele novo conceito de moradia, acredito na sua despoluição, na sua drenagem e, conseqüentemente na sua total revitalização. Aí ele ressurgirá lindo, largo, profundo e repovoado de peixes.
O Rio Sururu é limite entre os municípios de Santo Antonio de Jesus e Conceição do Almeida. No passado, nos anos sessentas, antes da inauguração da BR 101, esse nosso querido e mais próximo rio do centro da cidade era o ponto de convergência dos jovens da nossa cidade que iam aos domingos tomar banho, pescar e fazer piquenique na “praia do dendê”. Ainda não havia aquela ponte por onde hoje trafegam os veículos que viajam via BR 101. A BR 101 só veio a ser inaugurada no ano, salvo engano, 1970/3. O Rio era totalmente despoluído e bastante caudaloso. Fico pensando na bênção que Deus nos deu ao trazer para suas margens esse empreendimento que, inevitavelmente como disse anteriormente, vai despoluí-lo.
Não sou saudosista, mas acredito que um povo sem a memória do passado é um povo sem crença no presente e, conseqüentemente, sem futuro. O presente chegou para resgatar o passado daquele rio, salva-lo neste presente e perpetuá-lo para o futuro. Sejam bem-vindos “Alfa Parque Recôncavo”. O RIO SURURU LHES AGRADECE. Foto Infosaj. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário