PÁGINAS

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Acometido de epilepsia, jovem foi atendido por prepostos do SAMU e encaminhado ao HOSPITAL REGIONAL em S.A.JESUS

Por ANTONIO MASCARENHAS

Acometido por um ataque de epilepsia, rapaz, após  ter caído sobre a pista de rolamento da Av. Ursicino Pinto de Queiroz, centro, Santo Antonio de Jesus, ensejando engarrafamento de trânsito, enquanto esperava atendimento por parte de prepostos do SAMU, após ter sido atendido por prepostos dessa unidade de saúde móvel, foi encaminhado ao Hospital Regional para atendimento. 
É sempre de bom alvitre esclarecer que Epilepsia não é uma doença contagiosa. Acontece que muitas pessoas ao ver  uma pessoa acometida desse distúrbio, logo se afasta. "Trata-se de uma  atividade elétrica do cérebro, temporária e REVERSSÍVEL, que produz manifestações motoras, sensitivas, sensoriais, psíquicas ou neurovegetativas (disritmia cerebral paroxística). Para ser considerada epilepsia, deve ser excluída a convulsão causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos, já que são classificadas diferentemente. 
Conquanto possa ser provocada por uma doença infecciosa, a epilepsia, ao invés de algumas crenças habituais, NÃO É CONTAGIOSA. Ninguém a pode contrair em contato com um epiléptico. Na maioria dos casos a epilepsia deve-se a uma lesão cerebral causada por Traumatismo provocado por acidente físico, num Tumor, numa Infecção, no Parasita cisticerco, num Parto mal feito ou numa Meningite, embora em menor freqüência pode ser Genético, significando que, em poucos casos, a epilepsia pode ser transmitida aos filhos. A saliva de uma pessoa com epilepsia não transmite a doença.  E a doença não tem cura, mas tem tratamento e os epiléticos podem viver como pessoas normais!"Fotos Andressa Mascarenhas (www.tvsaj.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário