quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Prefeito de Vera Cruz diz que setor da saúde é o mais prejudicado com crise no ferry boat

Prefeito de Vera Cruz diz que setor da saúde é o mais prejudicado com crise no ferry boat A crise enfrentada pelo sistema ferry boat tem causado impactos no turismo, economia e outros setores de cidades do Recôncavo baiano e sobretudo da Ilha de Itaparica. O prefeito de Vera Cruz, na Região Metropolitana de Salvador, Magno do PT, afirmou nesta quarta-feira (30) que seu município é o mais atingido pelos problemas ocorridos na travessia que opera ultimamente com número reduzido de embarcações. “O impacto é muito grande na cidade, principalmente porque temos a maior densidade demográfica da ilha, com mais pousadas até do que Itaparica. A gente sente os efeitos no comércio, no transporte como vans, sem falar na economia como um todo”, relatou o alcaide. Em entrevista ao Bahia Notícias, o prefeito contou que o setor mais delicado é a saúde. “Muitos atendimentos de urgência e emergência são feitos em Salvador. A crise do sistema representa um dano violento para a saúde daquelas pessoas que precisam, por exemplo, fazer hemodiálise lá. É um transtorno”, classificou.
“Estive com o governador Wagner ontem em Brasília e falei com ele sobre isso. Cobrei uma solução mais rápida possível, além da reforma do terminal de Mar Grande, que ajudaria a aliviar a situação. Mas sabemos que ali [ferry boat] não tem medida de efeito a curto prazo, é um abacaxi que caiu no colo do governador que vinha sendo acumulado há muito tempo”, contou o gestor que lembrou a espera pela licitação das obras para a recuperação do terminal de Mar Grande. “O projeto está na Seinfra [Secretaria Estadual de Infraestrutura] para ser licitado novamente. Já teve duas aberturas e deu deserto todas as vezes”, lamentou. Por Aparecido Silva. B.Noticias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário