domingo, 29 de agosto de 2010

Calça de veludo, bumbum de fora

Por ANTONIO MASCARENHAS
Jargão dos mais conhecidos, essa expressão caracteriza muito bem situações que, por diversos fatores, deixam cair por terra todo um trabalho realizado, seja pela ausência de um "feedback", seja em face do desencadeamento de uma gama de ações (melhor dizendo, omissões)  que denotem falta de compromisso com  causas abraçadas. Via-de-regra essa questão acontece, principalmente,  no setor público, em todo país e não é diferente  em nossas paragens.   Muitos gestores, apesar de notórios esforços, acabam tendo sua imagem desgastada perante à população no momento  em que, apesar de propiciar a eclosão de realizações, a princípio, majestosas, acabam sofrendo "socos nos rins",  na medida em que apesar da imponência  da "calça de veludo", infelizmente, acabam deixando o  'bumbum de fora". Podemos observar que,  na maioria dos casos, "economia de palitos" prejudica todo um trabalho que,  apesar de vultuoso, geralmente absorve  cifras vultosas.  
 O somatório de esforços, o tempo dispensado e a perspectiva de alcance social caem por terra, justamente por falta desse "olhar clínico". Todo um leque de realizações é desconstruído, paulatinamente.  As "torneirinhas", geralmente, imperceptíveis, deixam esvair todo um leque de realizações. E quem perde com tudo isso?  Primeiro, a população e, em segundo, os gestores e os próprios "aliados" no momento em que se propõem ir às ruas em busca de reeleições que possibilitem  a continuação na vida pública e, à essa altura, o leite poderá estar derramado. Inserção  de imagens Google: Mascarenhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário