terça-feira, 29 de junho de 2010

Chiquinho da Bahia, o brasileiro, lamenta a extinção dos carurus de setembro.

Por MASCARENHAS
Funcionário público estadual, ele labora, a muito tempo na 4a. DIRES, em Santo Antonio de Jesus. Excelente desenhista,  aficcionado por futebol, pega seus babinhas na UEC e Clube dos 1000, atuando com maestria como meia-armador. Todavia, o que mais chama atenção em Chiquinho (camisa verde) é a alta dose de humor que procura externar no dia-a-dia. Ele costuma dizer que, na sua família, os três homens representam três nacionalidades: um é FRANCÊS, pelos trejeitos; o outro, MARROQUINO, por ter convivido com várias mulheres, e ele, BRASILEIRO, por gostar de futebol, caruru e, também, mulheres. Chiquinho, entretanto, revela uma grande decepção: a extinção paulatina dos tradicionais carurus oferecidos em diversas residências de Santo Antonio de Jesus, no mês de setembro.  Segundo ele, essa cultura está se acabando. Atribui esse fato à "insegurança" reinante no seio da sociedade e a "massificação" cultural.  Na foto, ao lado de seu amigo "Dorme", irmão de Hernane Mercês, Superintendente de Esportes, Cultura e Turismo do município.Foto Mascarenhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário